sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Poesia minha...


Sinto saudades de conversar sobre coisas complicadas
De forma descomplicada.
Saudades de falar de cachorros comendo papel higiênico.
De meninos crescendo.
De música que se gosta.
Sinto saudades de dividir um prato de bolo
Daqueles que o maior pedaço é escolhido com critério.
Saudades da covinha no sorriso torto.
E da teimosia nos momentos insanos.
Saudades da fé compartilhada.
Da força em si mesmo.
E do brilho nos olhos quando me olha.
Saudades do abraço apertado.
E do jeito de fingir que não se importa.

7 comentários:

  1. Muito lindo, Adri !!!
    Eu tbm sinto saudades de tantas coisas, de outros tempos, de tantas pessoas !!!
    Vc escreve lindamente, querida !!!
    Ah, tem sorteio lá no blog do Capanema, passa lá pra participar !!!
    Beijooooocas com carinho da Claudinha

    ResponderExcluir
  2. Adri, já te falei que ADORO seus poemas?
    Todos eles deixam aquela sensação de saudade de um tempo que não volta mais...
    Um lindo ano pra você, amiga. Cheio de momentos felizes, de muita inspiração.
    beijoss!

    ResponderExcluir
  3. Amiga, depois eu volto para ler de novo.... acho q to correndo e preciso captar este poema..hahaha... senti tristeza mas senti alegria...volto depois, guarda meu lugar, por favor... até mais..
    bj

    ResponderExcluir
  4. Oi Adriana!!
    Saudades de você, mulher! Que bom que voltou!
    Adorei o texto, muito sensível!
    bjks

    ResponderExcluir
  5. de tanto fingir que não me importo, acabei por virar amiga da desismportância de verdade. não é mais importante. rsrs


    um 2011 delicioso pra ti, linda.
    bjs meus

    ResponderExcluir
  6. Que lindooo, Adriana!
    Estava com saudades!!! Tb ando sumida...correria total no trabalho!

    Feliz 2011, queridaaaa!

    Bjinhossss

    ResponderExcluir
  7. Dri... me vi falando isso. Sinto que ta acabando algo bom na minha vida e ja to com saudades de tudo isso. Nao sei mais o que fazer para manter! É triste! :(

    ResponderExcluir