terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Toalhas marrons ou um carrossel ?


Minha mãe tem um dito popular para cada passagem e caso crucial da vida.E é cheia de metáforas.Acho isso divertidíssimo e adoro quando ela se confunde e mistura começo de um com final de outro.Naquele jeitinho dela de libriana meio zen,meio esquecida,totalmente viajando na maionese,ela me ensinou uma das maiores lições que levo pra vida:quem fala a verdade não merece castigo.Escutei isso durante a minha vida inteira.Ela repetia isso 365 mil vezes ao dia!E claro,cresci meio que com a obsessão de dizer sempre a verdade.E sofria,ao pensar no castigo quando quebrava essa regra.A maturidade me fez entender que não há um inferno para quem mente.No máximo,uma grande confusão.Mas mesmo assim,tomei a decisão de não arriscar.Imagino o inferno com camas ardentes e sem lençóis de elásticos cheirando a lavanda.E as toalhas de lá,devem ser marrons(verdadeira tortura para alguém obcecado por toalhas brancas como eu).Então,quando me aproximo apenas da porta, essa visão das toalhas me lembra que tenho que dar meu jeito e conseguir dar o fora de lá rapidinho.E quando consigo isso,ganho como recompensa uma voltinha no carrossel colorido,com vento no cabelo e cheiro de algodão doce.Essa sensação de liberdade me fez tomar a decisão de frear meus impulsos cada vez que minha mente fértil tem vontade de aumentar uma estória.Cada vez que tenho vontade de me apossar de uma idéia que não foi minha e principalmente cada vez que vou ferir alguém que amo com atitudes sem clareza...Decidi falar a verdade no meu trabalho,quando até seria mais fácil trapacear para atingir algumas metas e posições.Claro que já tomei o caminho errado inúmeras vezes.Mas acredito que o que determina quem você é de verdade é o tempo em que vai permanecer nesse caminho.
Mas nem tudo é tão simples.Uma das grandes ilusões da vida é afirmar que só queremos verdades.Na boa,não suportamos verdades.Eu ao menos não suporto.Elas doem.Mas são tão necessárias...Quem fala a verdade é visto como intransigente e sem coração...E não é fácil ser rotulado dessa maneira.O que ando exercitando é buscar falar a verdade sem machucar as pessoas.Mas isso é tão exaustivo.E,principalmente,o que almejo nessa minha jornada é não precisar mentir nunca mais...Pra poder ficar bem longe das toalhas marrons.E dos lençóis sem cheirinho de lavanda.

8 comentários:

  1. Adri, vc me surpreende sempre com as coisas lindas que escreve !!! Sempre há tanta poesia pra tratar de coisas tão simples e cotidianas.
    Falar a verdade nem sempre é fácil, ouvi-la muitas vezes é ainda mais difícil... mas certamente mentir é ainda mais complicado, sustentar uma mentira por muito tempo é coisa de "profissional". eu não daria conta disso.
    Uma mentirinha inofensiva as vezes é necessária, pra acalmar os ânimos, pra contornar uma situação desagradável, enfim, mas tem gente que transforma a mentira em um hábito, uma forma de vida.
    Eu também não quero viver longe dos lençois com cheiro de lavanda...
    Querida, nada ainda está resolvido, estou tentando convencer o meu marido, mas então ficaríamos mesmo num hotel, de preferência pertinho da sua casa. Em que bairro vc mora ???
    Me conta depois por e-mail, tá ???
    Eu queeeeero muito ir, com certeza.
    Te adooooooro e adooooro tudo que vc escreve !!!
    Beijooooocas

    ResponderExcluir
  2. Maria Luiza Fetter1 de dezembro de 2009 11:45

    Decidir falar a verdade é um ato de coragem.Adorei essa definição de inferno.Post lindo.Beijos

    ResponderExcluir
  3. Adorei sua definição. Lindo post! Parabens!

    ResponderExcluir
  4. Que coisa linda vc é, Adri.
    Linda demais.
    Estou encantada.
    Sirvo ao Deus da verdade. Ele é meu melhor amigo, meu Rei, meu advogado.
    Por isso sei que, falando a verdade, Ele me defenderá, semmpre. De todos os castigos.
    De todos as toalhas marrons que a vida me oferecer.
    Um beijo, querida.
    Me chame no msn se possível, mesmo que tarde. Preciso conversar com vc. Aí te ligo.
    Um beijo,

    ResponderExcluir
  5. Sabe, Adri, por dizer a verdade eu perdi uma vida inteira... Mas, não me arrependo, pois ganhei uma outra vida, como quem ganha um caderno em branco para escrever uma nova história. Nunca suportei mentiras. Nunca. E, pela verdade, sou capaz de tudo, até de perder meu chão.
    Ah! Pega os selinhos lá no 30 em Uns, pega?
    Saudades de vocês... Mas, ando tão sem tempo. E, quando chego em casa, só quero descansar um pouquinho que seja. Só um tico!
    Beijo enoooooooooooooooooorme em você, Adri!

    ResponderExcluir
  6. linda... soh pra te deixar um beijo grande de mt saudades!!!

    ResponderExcluir
  7. Adri querida, saudaaaaades sempre !!!
    Imagino a "vida louca" que vc está vivendo nesses dias !!!
    Adooorei o seu e-mail, obrigada pelo carinho !!!
    Mas ainda assim estou tristinha...
    Oh, tem um selinho natalino fofo pra vc lá no blog:
    http://fufuquices.blogspot.com/2009/12/selinho-natalino-super-fofo.html

    Beijooocas

    ResponderExcluir
  8. Adri... como vc está?!?!?!
    Espero que bem!!! SE cuidaaa
    beijosssssssssssss

    ResponderExcluir